Lápis Mágico

A Galinha Ruiva

Conto tradicional A Galinha Ruiva, adaptado por António Torrado que dá enfase ao valor do esforço em contraste com a preguiça e aversão ao trabalho.

A Galinha Ruiva

A galinha ruiva achou umas espigas de trigo.

Ela chamou o gato.

Ela chamou o ganso.

Ela chamou o porco.

A galinha ruiva disse:

– Quem me ajuda a semear o trigo?

– Eu não – disse o gato.

– Eu não – disse o ganso.

– Eu não – disse o porco.

– Então semeio eu o trigo – disse a galinha ruiva.

E a galinha ruiva semeou o trigo.

O trigo cresceu.

A galinha ruiva disse:

– Quem me ajuda a ceifar o trigo?

– Eu não – disse o gato.

– Eu não – disse o ganso.

– Eu não – disse o porco.

– Então ceifo eu o trigo – disse a galinha ruiva.

E a galinha ruiva ceifou o trigo e levou-o para o moinho.

Depois de ter já o trigo moído e feito em boa farinha, a galinha ruiva disse:

– Quem me ajuda a fazer o pão?

– Eu não – disse o gato.

– Eu não – disse o ganso.

– Eu não – disse o porco.

– Então faço eu o pão – disse a galinha ruiva.

E a galinha ruiva amassou o pão, que ficou muito bem amassado, e cozeu-o no forno, muito bem cozido.

– Quem me ajuda a comer o pão?

O gato disse:

– Miau! Miau! Miau! Quero eu, quero eu, quero eu. O ganso disse:

– Quá! Quá! Quá! Quero eu, quero eu, quero eu

O porco disse.

– Gurnin! Gurnin! Gurnin! Quero eu, quero eu, quero

eu! A galinha ruiva disse:

– Vocês não me ajudaram a semear o trigo. Vocês não me ajudaram a ceifar o trigo. Vocês não me ajudaram a fazer o pão.

Pois então vocês não me ajudarão a comer o pão. Os meus pintainhos comerão o pão.

E a galinha ruiva e os pintainhos comeram o pão.

Quem não trabuca não manduca.

Está contada a história. Está dada a lição.

A Galinha Ruiva, António Torrado

A Galinha Ruiva

Adira à nossa lista especial para receber conteúdos didáticos