Lápis Mágico

O lobo e a cegonha

O lobo e a cegonha é uma fábula adaptada de Esopo que nos diz que por vezes, mesmo praticando o bem, não podemos esperar gratidão da outra parte.

O lobo e a cegonha

Um lobo devorou sua caça tão depressa, com tanto apetite, que acabou ficando com um osso entalado na garganta.

Cheio de dores, o lobo começou a correr de um lado para outro soltando uivos, e ofereceu uma bela recompensa para quem tirasse o osso de sua garganta.

Com pena do lobo e com vontade de ganhar o dinheiro, uma cegonha resolveu enfrentar o perigo.

Depois de tirar o osso, quis saber onde estava a recompensa que o lobo tinha prometido.

– Recompensa? – berrou o lobo.

– Mas que cegonha pedinchona! Que recompensa, não há nada! Enfiaste a cabeça na minha boca e em vez de arrancar a tua cabeça com uma dentada deixei que a tirasses lá de dentro sem um arranhãozinho. Não achas que tiveste muita sorte?

– Vai embora e tem cuidado e não te aproximes mais das minhas garras!

Adaptado da Fábula de Esopo

Moral da história: Não espere gratidão ao mostrar caridade para um inimigo.

Adira à nossa lista especial para receber conteúdos didáticos