Lápis Mágico

Pontinho de vista

UUm poema de Pedro Bandeira

Pontinho de vista

Pontinho de vista

Eu sou pequeno, me dizem,

e eu fico muito zangado.

Tenho de olhar todo mundo

com o queixo levantado.

Mas, se formiga falasse

e me visse lá do chão,

ia dizer, com certeza:

– Minha nossa, que grandão!

Pedro Bandeira

Adira à nossa lista especial para receber conteúdos didáticos