Lápis Mágico

No alto daquela serra

No alto daquela serra uma cantiga de roda, passada de geração em geração.

No alto daquela serra, cantiga de roda

As cantigas de roda são de origem popular, constituídas por textos ritmados e com repetições, próprios das cantigas, associadas às brincadeiras de roda e passadas de geração em geração.

As crianças dão as mãos e formam uma roda, cantando a cantiga de roda e, normalmente, fazendo uma coreografia associada à letra da música.

Hoje em dia, estas brincadeiras de roda caíram um pouco no esquecimento mas são usadas para entreter as crianças nas creches e escolas, por serem divertidas e fáceis de memorizar.

No alto daquela serra
no alto daquela serra
está um lenço
está um lenço a acenar

Está dizendo viva, viva
está dizendo viva, viva
morra quem , morra morra quem não sabe amar.

Do outro lado do monte
do outro lado do monte
tem meu pai
tem meu pai um castanheiro.

Dá castanhas em outubro
dá castanhas em outubro
uvas brancas
uvas brancas em janeiro.

Mais versões:

Ajoelho aos teus pés e rezo
Ajoelho aos teus pés e rezo
Nem assim, nem assim tens compaixão
Nem assim, nem assim tens compaixão.

Levanta-te e dá-me um beijo,
Levanta-te e dá-me um beijo.
Amor do, amor do meu coração
Amor do, amor do meu coração.

No alto daquela serra
No alto daquela serra
Está um lenço, está um lenço de mil cores.
Está um lenço, está um lenço de mil cores.

Está dizendo viva viva
Está dizendo viva viva
Morra quem, morra quem não tem amores
Morra quem, morra quem não tem amores.

Ajoelho aos teus pés e rezo
Ajoelho aos teus pés e rezo
Nem assim, nem assim tens compaixão
Nem assim, nem assim tens compaixão.

Levanta-te e dá-me um beijo
Levanta-te e dá-me um beijo.
Amor do, amor do meu coração
Amor do, amor do meu coração.

No alto daquela serra | Edições Convite à música

No Alto Daquela Serra - Jorge Benvinda, Vitorino


Compre os seus livros na loja online Wook.
JÁ FAZ PARTE DA LISTA?

Adira à nossa lista especial para receber conteúdos didáticos