Lápis Mágico

O gato, o galo e o ratinho

Uma adaptação da fábula de Esopo com uma lição de moral implícita que nunca se deve confiar nas aparências.

O gato, o galo e o ratinho

Um ratinho vivia num buraco com a sua mãe e depois de sair sozinho pela primeira vez, contou-lhe:

— Mãe, não imaginas os bichos estranhos que encontrei! — Então querido?

— Um era bonito e delicado, tinha um pelo muito macio e um rabo elegante, um rabo que se movia formando ondas. O outro era um monstro horrível! No alto da cabeça e debaixo do queixo ele tinha pedaços de carne crua, que balançavam quando ele andava. De repente os lados do corpo dele se sacudiram e ele deu um grito apavorante. Fiquei com tanto medo que fugi correndo, bem na hora que ia conversar um pouco com o simpático.

— Ah, meu filho! – respondeu a mãe. – Esse monstro era uma ave inofensiva; o outro era um gato feroz, que num segundo teria te devorado.

Moral da história: Nunca confie nas aparências

Adira à nossa lista especial para receber conteúdos didáticos