Lápis Mágico

Já estou farta de estar em casa!

Uma pequena história que conta como uma família passa o tempo de quarentena por causa do COVID-19 e ensina os procedimentos certos a ter. Num tempo mais difícil esta história ajuda as crianças a perceberem que outras estão na mesma situação e aprendem ao mesmo tempo.

Já estou farta de estar em casa!

A Teresa, de 5 anos, estava em casa há já alguns dias, com os pais. Não estava de férias! Todos estavam obrigados a ficar em casa por causa de um Vírus chamado Covid-19 e os pais trabalhavam a partir de casa.

Ela ainda não percebia muito bem porque, de repente, deixou de ir à escola, de ver os amigos ou de estar com os avós, mas tinha que fazer os trabalhos que as professoras mandavam por e-mail.

Entretinha-se a brincar sozinha, mas pedia companhia, muitas vezes. Os pais, à vez, revezavam–se para brincar com ela: adorava jogar bola com o pai; andar de bicicleta e fazer bolachas e bolos saudáveis com a mãe. Mas, às vezes, sentia-se mais triste.

Estava cheia de saudades dos amigos, dos primos, dos tios e dos avós. Fazia videochamadas com todos, mas não era a mesma coisa.

Os pais explicaram-lhe que tinha que lavar muto bem as mãos, ter cuidados redobrados na sua higiene, que não devia por as mãos na cara e que deviam ficar em casa, sem contactar com outras pessoas. Via, até, algumas notícias na televisão. Ela não gostava muito, mas os pais entendiam que era importante ela saber o que se passa no mundo.

No entanto, ela continuava com dúvidas:

— Mãe, nunca mais vou à escola? Não vou ver mais os meus amigos?

— Claro que vais, querida. Quando o vírus se for embora e tudo ficar bem, vamos voltar a fazer tudo o que fazíamos: estar com a família, passear, andar nas ruas, ir à praia e claro, ir à escola e estar com os amigos.

— E ainda falta muito?

O pai, que também ouvia a conversa, respondeu:

— Não sabemos, Teresa. A verdade, é que vai depender muito das pessoas. Se todos se portarem bem e fizerem o que os médicos mandam, o vírus vai embora mais depressa. E sabes o que temos todos que fazer?

— O quê?

— Ficar em casa, por agora. Não devemos sair, nem estar com ninguém exceto com quem vivemos. Devemos lavar muito bem as mãos durante 20 a 30 segundos, que é mais ou menos o tempo que demoramos a cantar os parabéns ou outra música que gostes e aprendeste na escola.

— Mas por que é que tem que ser assim? Não percebo.

— Pois, entendo que é difícil. Vamos-te explicar, então, tudo dobre o vírus.

O vírus chama-se Covid-19 porque os cientistas descobriram que é um vírus da família dos Corona vírus- e parece uma coroa ao microscópio. Apareceu em 2019, na China, no fim do ano. As pessoas infetadas sentiam, todas, muito cansaço, febre, tosse e dificuldade em respirar. Muito rapidamente, os médicos perceberam que o vírus era altamente contagioso e podia pôr as pessoas bastante doentes, como se tivessem pneumonia.

Por todo o mundo, os países começaram a ficar preocupadas pois as pessoas viajam muito e, é muito fácil, o vírus espalhar-se. Em pouco tempo, começaram a surgir mais casos, mais pessoas infetadas. Os cientistas trataram logo de continuar a estudar o vírus e já descobriram muita coisa sobre ele: que passa de umas pessoas para outras quando falamos ou tossimos, ou seja, através das gotículas respiratórias e por isso é muito importante tapar a boca com uma máscara e mantermo-nos separados uns dos outros. Mas descobriram mais: é que o vírus, sobrevive alguns dias ou horas, em superfícies como vidros, madeira, metal e roupa, por exemplo. Devemos, portante, lavar e desinfetar tudo com lixívia ou uma solução alcoólica.

— Ah, por isso é que tu e a mãe agora estão sempre a limpar tudo com lixívia.

— Sim, querida. Nós nem saímos de casa, mas devemos proteger-nos de todas as formas e assim ficamos mais sossegados. Agora ouve: tu tens um papel muito importante também. Deves lavar as mãos muitas vezes, e evitar por as mãos nos olhos, na boca e na cara em geral.

— Vamos lembrar como devemos lavar as mãos? Anda daí, vamos à casa de banho.

— Molhamos as mãos; aplicamos sabão suficiente. Esfregamos as palmas das mãos, uma na outra e, depois, sobre o dorso com os dedos entrelaçados. De seguida, palma com palma e na parte de trás dos dedos. Esfregar o polegar em sentido rotativo e depois em todos dos dedos. Enxaguar as mãos com água e secar com um toalhete descartável.

— Nós já fazemos assim. Eu já sei como é.

— E deves continuar a fazer todos estes passos. Vamos todos ter que continuar a ter sempre cuidado; continuar a respeitar o distanciamento e os cuidados de higiene, mesmo depois de esta fase acabar.

— Ooh, eu tenho tanta vontade de estar com os tios e os avós. E com os meus amigos também.

— Eu sei, querida. Olha, porque não fazemos já uma chamada para os avós?

— Uma videochamada? Boa! Sim, vamos lá. Vou mostrar a borboleta que fiz com rolos de papel higiénico.

— Boa ideia, Teresa. Senta aí no sofá para ligar.

E assim, no meio daquela fase mais difícil, mitigar as saudades era muito importante.

Ana Silva, Lápis Mágico, 2020

Como lavar as mãos

como lavar as mãos

Aqui encontra poster e fichas de auxílio

Descarrega fichas de trabalho sobre Já estou farta de estar em casa!:

Já estou farta de estar em casa!, ficha pdf nº1
Já estou farta de estar em casa!, ficha pdf nº1

Adira à nossa lista especial para receber conteúdos didáticos