Lápis Mágico

O jovem invejoso

Uma breve conto com uma lição de moral

O jovem invejoso

Há muitos anos atrás havia um rei que vivia muito feliz com a sua jovem esposa, num castelo maravilhoso. Eram um casal adorado pelo povo e costumavam organizar longos passeios pelos prados.

Numa dessas ocasiões, o rei foi cavalgar pelos campos fora, acompanhado por um nobre da corte. Este era um rapaz moreno, bonito mas com um grande defeito. Era muito invejoso e intriguista.

Ora havia um outro jovem loiro de quem ele tinha ciúmes porque era valente, corajoso e de quem todos gostavam.

Por isso aproveitou o momento em que estava sozinho com o rei e disse-lhe que o outro estava apaixonado pela rainha.

O rei acreditou nele e não gostou nada do que ouviu pois considerava uma enorme falta de respeito.

Como viu ao longe um camponês, foi ter com ele e combinou que, no dia seguinte, um jovem o iria procurar e lhe ia dizer que lá estava para cumprir as ordens do seu senhor. Mal ele pronunciasse essas palavras o camponês devia chamar a filha, feia, gorda e gaga e realizar o casamento dos dois. Dizendo isto o monarca foi-se embora.

Naquele tempo um sacramento religioso não podia ser quebrado.

No dia seguinte, como tinha combinado, o rei mandou o jovem moreno que, sem desconfiar de nada, partiu de imediato a cumprir as ordens recebidas. O jovem ia feliz pelos campos fora quando avistou uma igreja e resolveu entrar e ali demorou um bom tempinho.

O outro rapaz invejoso, com pressa de ver o seu colega desaparecer da sua vida, galopou até à casa do camponês e nem se apercebeu que o outro não tinha ainda lá chegado.

Ora o lavrador ao ver um rapaz bem parecido, achou que lhe tinha saído a sorte grande. Abraçou-o com força, chamou o padre e a filha já vestida de noiva e com o rosto tapado com um véu e ali mesmo casaram.

O rapaz bem tentou fugir mas o sogro não permitiu. O outro jovem chegou pouco depois e foi ele o padrinho para grande desgosto do invejoso.

Conto tradicional

Adira à nossa lista especial para receber conteúdos didáticos