Lápis Mágico

Cabra-cega

As lengalengas da cabra-cega fazem parte de um jogo em que um dos participantes, de olhos vendados, procura apanhar os outros e adivinhar quem é. Aquele que for agarrado, passará a ficar com os olhos vendados.

Cabra-cega

Cabra-cega, donde vens?
Venho da serra.

O que trazes?
Bolinhos de atum

Dá-me um!
Não dou.

Gulosa! Gulosa!

**

Cabra-cega, donde vens?
Venho do Lombo do Moinho

O que trazes?
Pão e Vinho.

Não me dás nada? Não dou.

Malvada! Malvada!

**

Cabra-cega! Cabra-cega!
Tudo ri, mãos no ar, a apalpar, tatear, por aqui, por ali.
Tudo ri! Cabra-cega! Cabra-cega!
Mãos no ar, apalpando, tateando, por aqui, por ali,
Agarrando o ar! Tudo ri…

Quer saber mais?

As lengalengas eram ditas enquanto se tapava os olhos e rodopiava a “cabra cega” ao início do jogo, ou enquanto a cabra cega procurava os participantes.

Hoje em dia é um jogo infantil, mas durante o Renascimento foi um passatempo palaciano, jogado nos salões e jardins dos nobres, sobretudo entre os jovens adolescentes pois era um jogo que permitia o contacto físico entre rapazes e raparigas e era usado assim como meio de namoro.

Adira à nossa lista especial para receber conteúdos didáticos