Lápis Mágico

Provérbios de junho

Conheça alguns provérbios tradicionais portugueses sobre junho, mês do sol até tarde e das festas populares S. João e S. Pedro.

Provérbios de junho
  • Em junho, foicinha em punho.

  • Se o vento bailar, em noite de S. João, vai tardar o Verão.

  • Chuva junhal, fome geral.

  • Lavra por S. João, se queres ter pão.

  • Ande o Verão por onde andar, no S. João há-de chegar.

  • Até ao S. Pedro, o vinho tem medo.

  • Chuva no S. João, talha o vinho e não dá pão.

  • Junho floreiro, paraíso verdadeiro.

  • Junho calmoso, ano formoso

  • Galinhas de S. João, pelo Natal poedeiras são.

  • Para o S. João, guarda a velha o melhor tição.

  • Ouriços no S. João, são do tamanho dum botão.

  • Pelo S. João, deve o milho cobrir o rabo do cão.

  • Sardinha de S. João, já pinga no pão.

  • Quando o vento ronda o mar na noite de S. João, não há Verão.

  • Junho calmoso, ano famoso.

  • Ande onde andar o Verão, há-de vir no S. João.

  • Chuva no S. João, bebe o vinho e come o pão.

  • Lavra por S. João, se queres haver pão.

  • O sol de junho madruga muito.

  • Chovam trinta maios e não chova em junho.

  • Chuva de Junho, peçonha do mundo.

  • Dezembro com junho ao desafio, traz janeiro frio.

  • Feno alto ou baixo, em junho é cegado.

  • Junho, dorme-se sobre o punho.

  • Maio frio e Junho quente: bom pão, vinho valente.

  • Para junho guarda um toco e uma pinha, e a velha que o dizia guardados os tinha.

  • Sol de Junho, madruga muito.

Adira à nossa lista especial para receber conteúdos didáticos