Lápis Mágico

Provérbios de março

Conheça alguns provérbios tradicionais portugueses sobre o mês de março

Provérbios de março

– Água de Março é pior que nódoa no pano.

– Água de Março pior é que nódoa no fato.

– Água de Março, no princípio ou no cabo, só que molhe o rabo do gato.

– Água de Março, pior é que nódoa no pano.

– Água de Março, quanta o gato molhe o rabo.

– Aí vem meu irmão Março, que fará o que eu não faço.

– Antes a estopa de abril, que o linho de Março.

– Bodas em março, é ser madraço.

– Cavas em março e arrenda pelo São João (24/6), todos o sabem e poucos o dão.

– Dia de Março, dia de três ventos.

– Em 25 de Março, se o cuco não se ouvir, ou é morto ou não quer vir.

– Em março espetam-se as rocas e sacham-se as hortas.

– Em março o pão com o mato, a noite com o dia e o Pedro com a Maria.

– Em março o sol rega e a chuva queima.

– Em março ouga a erva com o sargaço.

– Em março ouga a noite com o dia e o pão com o sargaço.

– Em março queima a velha o maço para aguentar o pernaço.

– Em março queima a velha o maço.

– Em março, de manhã pinga a telha e à tarde sai a abelha.

– Em março, aquece cada dia um pedaço.

– Em março, chove cada dia um pedaço.

– Em março, cresce cada dia um pedaço.

– Em março, esperam-se as rocas e sacham-se as hortas.

– Em março, igual o trigo com o mato e a noite com o dia,

– Em março, liga a noite com o dia e a noite com o sargaço.

– Em março, merenda o pedaço; em abril merenda o merendil.

– Em março, nem migas, nem couves, nem esparto.

– Em março, nem rabo-de-gato molhado.

– Em março, o pão com o mato, a noite com o dia e o Pedro com a Maria.

– Em março, o que dormes, o que eu faço.

– Em março, o sol rega e a água queima.

– Em março, onde quer eu passo.

– Em março, queima a velha o maço.

– Em março, rebenta a erva nem que lhe dês com um maço.

– Em março, tanto durmo como faço.

– Enxame de Março apanha-o no regaço.

– Em tardes de março, recolhe teu gado.

– Em vinte cinco de março, se o cuco não se ouvir, ou é morto ou não quer vir.

– Entre março e abril o cuco há-de vir.

– A água de março é pior que nódoa no pano.

– A geada de Março tira o pão do baraço e a de Abril nem ao baraço o deixa ir.

  • Inverno de Março e seca de Abril, deixam o lavrador a pedir.

– Janeiro geoso, Fevereiro nevado, Março frio e ventoso, Abril chuvoso e Maio pardo, fazem o ano abundoso.

– Lá vem o irmão Março, que não deixará ovelha, nem farrapo, nem o pastor se for fraco.

– Lua cheia em março trovejada, trinta dias é molhada.

– Março amoroso faz o ano formoso.

– Março amoroso, Abril chuvoso, Maio ventoso, São João (24/6) calmoso, fazem o ano formoso.

– Março amoroso, Abril ventoso, Maio remeloso, fazem o ano formoso.

– Março baço, a noite com o dia, o pão com o sargaço.

– Março chove cada dia o seu pedaço.

– Março chuvento, ano lagarento.

– Março chuvoso, São João (24/6) farinhoso.

– Março de ano bissexto, muita fome e muito mortaço.

– Março duvidoso, São João (24/6) farinhoso.

– Março frio ou molhado, enche o celeiro e farta o gado.

– Março leva a ovelha e o farrapo e o pastor se ele é fraco; o cão escapará ou não.

– Março liga a noite com o dia, o Manel c’oa Maria, o pão com o mato e a erva com o sargaço.

– Março mal quando molha o rabo ao gato, se de Fevereiro ficou farto.

– Março marçagão de manhã cara de cão, ao meio-dia de rainha e à noite de fuinha.

– Março marçagão, cura meadas, esteiras não.

– Março marçagão, de manhã cara de anjo, à noite cara de ladrão.

– Março marçagão, de manhã cara de cão, à tarde cara de rainha, e à noite cava com a foucinha.

– Março marçagão, de manhã cara de cão, ao meio-dia cara de rainha e à noite corta com a foicinha.

– Março marçagão, de manhã cara de carvão, à tarde sol de Verão.

– Março marçagão, de manhã chove, de tarde está bom.

– Março marçagão, de manhã focinho de cão, ao meio-dia de rainha e à noite de fuinha.

– Março marçagão, manhã de Inverno, tarde de verão.

– Março marçagão, pela manhã rosto de cão, à tarde Verão.

– Março marçagão, tarde de Verão.

– Março marceja, pela manhã chove a à tarde calmeja.

– Março marcheia, de manha arreganha o pastor, à tarde desenxameia a colmeia.

– Março molinhoso, São João (24/6) farinhoso.

– Março o cria. Março o fia.

– Março pardo e venturoso traz o ano formoso.

– Março pardo, antes enxuto que molhado.

– Março pelarço as noites como os dias, os meses como os marcos.

– Março queima a dama do paço.

– Março ventoso e Abril chuvoso, do bom colmeal farão astroso.

– Março virado de rabo, é pior que o diabo.

– Março zangado é pior que o diabo.

– Março, aguaço.

– Março, encanar.

– Março, marçagão, de manhã cara de rainha, de tarde corta com a foucinha.

– Março, marçagão, de manhã Inverno, de tarde Verão.

– Março, marçagão, manhã de Inverno, tarde de rainha, noite corta que nem foucinha.

– Março, marçagão, manhãs de Inverno e tardes de Verão.

– Março, queima a dama do paço.

– Março, tanto durmo como faço.

– Nasce a erva em março, ainda que lhe dêem com o maço.

– Nasce erva em março, ainda que lhe dêem com um maço.

– No dia vinte e cinco de março vêm as merendas, abalam os serões.

– No tempo do cuco, tanto está molhado como enxuto.

– O sol de março queima a menina no palácio.

– Páscoa em março, ou fome ou mortaço.

– O enxame de março mete-o no regaço.

– O grão em março, nem em casa nem no saco.

– O grão, em março, nem na terra nem no saco.

– Poda em março, vindima no regaço.

– Podar em março é ser madraço.

– Podar em março ou no folhato.

– Pouca água em março, pouco bagaço.

– Quando em março arrulha a perdiz, ano feliz.

– Quando março sai ventoso, sai abril chuvoso.

– Quando troveja em março, aparelha os cubos e o sargaço.

– Quando troveja em março, semeia no alto e no baixo.

– Quando o março sai ventoso, sai o abril chuvoso.

– Quando outubro for erveiro, guarda para março o palheiro.

– Quando troveja em março, aparelha os cubos e o braço.

– Quando vem março ventoso, Abril sai chuvoso.

– Quem em março relva, não tem pão nem erva.

– Quem em março seroou, tarde ou mal acordou.

– Quem em março vê uma farroba, em Abril vê mais de mil.

– Quem não poda até março, vindima no regaço.

– Quanto vale o carro e o carril? Tanto como a chuva entre Março e Abril.

– Quem em março assoreou, tarde acordou, mas quem a sua maçaroca fiou, com ela se achou.

– Quem em março come sardinha, em Agosto lhe pica a espinha.

– Quem em março não merenda, aos mortos se encomenda.

– Quem não poda em março, vindima no regaço.

– Quem poda em março, é madraço.

– Se entre março e abril o cuco não vier, o fim do mundo está para vir.

– Se ouvires trovejar em março, semeia no alto e no baixo.

– Quem poda em março, vindima no regaço.

– Quem tenha força no braço, que cave e pode em março.

– Queres bom cabaço, semeia-o em março.

– Sáveis por São Marcos (25/4), enchem-se os barcos.

– Se não chover entre março e abril, venderá El-rei o carro e o carril.

– Se o cuco não vem entre março e abril, ou é morto ou está para vir.

– Se o vires em março, apanha-o no regaço; se o vires em abril, deixa-o ir; se o vires em Maio, agarrai-o; se o vires em Junho, nem que seja como um punho.

– Se queres bom cabaço, semeia-o em março.

– Secura de Março, ano de vinho.

– Sol de Março queima a dama no paço.

– Tardes de Março, recolhe teu gado.

– Temporã é a castanha que em março arreganha.

– Todos os meses me virás ver, menos em Março que quero crescer.

– Temporã é a castanha que por março arrebenta.

– Vinho que nasce em maio, é para o gaio; se nasce em Abril, vai ao funil; se nasce em Março, fica no regaço.

– Trovoada em março, semeia no alto e no baixo.

– Vai-te aos cubos do moinho; teu braço a novos proveja, quando por Março troveja.

– Vai-te embora irmão Fevereiro que cá fica a minha ovelha com o meu cordeiro, mas lá vem o irmão Março que não deixará ovelha nem farrapo, nem o pastor se for fraco.

– Vento de Março e chuva de abril, fazem o Maio florir.

– Vento de Março e chuva de abril, vinho a florir.

– Vinho de Março, nem vai ao cabaço.


Adira à nossa lista especial para receber conteúdos didáticos